Ads Top

MIGRAR DO WINDOWS PARA O LINUX #01: MEDOS E PARADIGMAS

Toda vez que falamos de migração, seja de sistema, smartphones, casa ou país, pensamos sempre em situações chatas e complicadas, cheias de burocracia e problemas. Porém, se você tiver a mente mais aberta para as mudanças, provavelmente encontrará um caminho cheio de novidades a ser exploradas e novas experiências que te trarão grandes momentos de sabedoria e conhecimento.

Hoje, vamos falar um pouco sobre a migração do Windows para o Linux.

Imagem do site: MakeUseOf

Quando um usuário comum de Windows pensa ou ouve algo sobre Linux, já sente arrepiar os cabelos e os pêlos dos braços, imagina que tudo o que é feito nas distribuições do pinguim tem, por obrigatoriedade, que ser feito através do terminal (a tela preta com códigos em branco do qual muitos tem medo, mas, não da tela azul com códigos piores, quase indecifráveis rsrs - tela azul da morte no Windows).


Com o avanço da tecnologia e o fácil acesso à informação, muitas pessoas utilizam aparelhos que carregam o kernel Linux (ou GNU/Linux, pra algumas pessoas) e tem caído no gosto popular ou até mesmo no uso comum, sem ter noção do que está utilizando carrega aquilo que elas mais temem.

A verdade é que, atualmente, quase tudo que fazemos no Windows, pode ser feito através da interface gráfica no Linux também, por exemplo:

- Um arquivo de texto, uma planilha ou uma apresentação em uma suíte Office;
- Acessar a internet através de um navegador da web;
- Escutar músicas através de um reprodutor de multimídia;
- Conversar com amigos, parentes e colegas nas redes sociais;
- Acessar contas bancárias pessoais sem medo de ter dados ou dinheiro roubados;
- Editar vídeos com editores gratuitos originais ou até mesmo pagos;
- Editar imagens e fotos com editores utilizados por YouTubers e empresas profissionais;
- Assistir sua série ou seu filme preferido no Netflix ou outros serviços de streaming;
- Jogar jogos da Steam ou GOG e muito mais;

Quando não temos conhecimento de algo ou temos medo ou preguiça de aprender, é normal que nossa posição seja ficar com o pé atrás e ser o mais reservado ou acomodado o possível com aquilo que já conhecemos.


Em Outubro de 2017, completou 2 anos que troquei o Windows pelo Linux, mais especificamente pelo Ubuntu, uma das distribuições Linux com grande suporte que vi na internet e tive a oportunidade de conhecer e utilizar com dual boot desde a versão 10 LTS.

Foi um grande desafio pra mim, acostumado com Windows (desde o 95), utilizando softwares piratas para trabalhar como Adobe Photoshop, Corel Draw, Adobe Illustrator; jogos, músicas e filmes baixados por torrent; e muitos vírus, trocar por um sistema que tem melhor segurança, facilidade de personalização e programas semelhantes aos que citei, porém, onde aprendi novas coisas, como a paixão por trabalhar com um canal no YouTube, feito inteiramente no Linux, desde gravações, edições de áudio, vídeo e imagens ao compartilhamento.

Estou em constante aprendizado, porém, hoje em dia, compartilho mais conhecimento, conheço a cada dia novos amigos com quem posso aprender coisas novas e relembrar outras e me empenho pra que você tenha a mesma ousadia de fazer o que fiz e indo além, passando pra frente o que te faz crescer e compartilhando como é essa nova jornada na sua vida...

Caso você seja usuário do Windows, diga-nos qual o seu receio? Já testou alguma distribuição Linux? Por que é a sua preferência permanecer no Windows?

Se for usuário de Linux, conte-nos se já passou por alguma situação semelhante, qual foi a sua motivação e sua experiência?


Gostou? Compartilhe! Dúvidas, sugestões, correções, deixe nos comentários.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.